Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Institucional

captação

InstitucionalTransparência Pública

INSTITUCIONAL

 

HISTÓRICO

A Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa) foi criada em 1977 pelo então governador Aluísio Chaves, com o objetivo de cuidar dos serviços de radiodifusão do Pará. Desde então, produz conteúdos de alta relevância geopolítica e cultural, resultando numa programação de qualidade e caráter educativo, que retrata as tradições locais, preservando e valorizando a identidade cultural do Estado, ao mesmo tempo em que procura atender aos diversos segmentos da sociedade.

A atual sede da Funtelpa, na avenida Almirante Barroso, onde ficam os estúdios da Rádio Cultura, TV Cultura e Portal Cultura, começou a ser construída em 1981. O prédio foi projetado para abrigar também a Imprensa Oficial do Estado do Pará (IOEPA). Em 1982, a Rádio Cultura foi transferida de Marituba para Belém e permaneceram naquele município somente os transmissores.

Em 1987 foi inaugurada a TV Cultura do Pará, finalizando-se então o projeto de implantação que originou a Funtelpa. A ação marcou o início de uma nova era na telecomunicação e radiodifusão paraense. Atualmente a Funtelpa é um organismo público de direito privado, que tem como provedor de recursos diretos o Governo do Estado, facultando-se o ingresso de outros recursos, sob o amparo da lei específica reguladora do caráter das fundações. A atual presidente da Funtelpa é a jornalista Adelaide Oliveira, que foi funcionária da casa por 14 anos.

 

TV Cultura
Criada para ser um veículo de difusão e valorização da cultura amazônica, a TV Cultura entrou no ar no dia 02 de janeiro de 1987, em caráter experimental. O equipamento custou 33 milhões de cruzados e foi comprado em São Paulo e no Rio de Janeiro. Inicialmente funcionou com um estúdio, um complexo exibidor, um complexo de gravação e uma sala de apoio, onde funcionavam o jornalismo e a administração. Contava com 86 antenas e equipamentos para transmissão.

Como estratégia, a TV Cultura foi concebida como uma televisão de governo. Num primeiro momento foi apenas retransmissora, pois a ideia era colocar rapidamente um sinal no ar, enquanto se ganhava tempo para a elaboração da programação local. A programação nacional era fornecida pelo Sistema Nacional de Rádios e Televisão Educativa, sendo gerada no Rio de Janeiro e produzida por todas as televisões educativas do país. Na época ainda não havia uma rede nacional de televisão.

Nas duas décadas seguintes, a TV Cultura iria especializar-se na produção de documentários – primeiro com recursos próprios e, nos últimos anos, em co-produções – programas jornalísticos diários, programas de variedades e programas educacionais, destacando-se como a emissora que mais produz conteúdo em toda a região amazônica.

A TV Cultura do Pará integra a Televisão América Latina (TAL) e a Associação Brasileira de Emissoras Educativas e Culturais (ABEPEC), que mantém a Rede Pública de TVs no Brasil (RPTV). É a única TV do Brasil que produz um programa infantil com temática amazônica, o "Catalendas", exibido em rede nacional. É a maior produtora de clipes musicais na Amazônia e a que mais transmite ao vivo ou exibe gravações de shows de música brasileira na região. O atual diretor da TV Cultura é o jornalista Tim Penner.

 

Rádio Cultura
Desde o ano de 1985, a Cultura FM faz a diferença, no que se refere à programação de rádio no Pará. Com grade musical diferenciada, alcança a região metropolitana de Belém e atua com uma política pública clara de difusão e circulação das manifestações artísticas e culturais do estado e da região amazônica, levando  informação, educação, arte, cultura, esporte, cidadania, responsabilidade social e ambiental aos ouvintes, que recebem uma programação aberta, plural,  ocupando os espaços não contemplados por emissoras comerciais.

Os estúdios da Cultura abrigam cantores, compositores, instrumentistas, atores,  poetas e artistas de todas as linguagens, que têm na  93,7 um veículo aberto para a divulgação de suas produções artísticas. Na interprogramação, há, sempre, espaço garantido para campanhas educativas próprias ou com instituições parceiras.

Ao completar três décadas no ar, a Cultura FM se orgulha da relação que estabeleceu com seus ouvintes, que se convertem em verdadeiros guardiões deste bem público, o que também aumenta a responsabilidade da rádio, no cumprimento do seu papel de emissora educativa, buscando, sempre, retratar as tradições locais, valorizar a identidade cultural sem se desvincular do contexto nacional, para atender a toda a sociedade.

Com uma grade que inclui 40 programas, entre musicais, produções, jornal e boletins, a Cultura FM leva informação, arte, cultura e cidadania aos ouvintes. E ao valorizar, difundir e respeitar a diversidade cultural do Pará e da região amazônica, a Cultura FM se tornou referência. A sintonia da 93,7 dá credibilidade a quem fala e satisfação a quem ouve.

 

Portal Cultura
Uma ação iniciada em agosto de 2005 deu origem ao terceiro veículo de comunicação da Rede Cultura de Comunicação. O Portal Cultura disponibiliza aos internautas produtos exclusivos, além da programação da Rádio e TV Cultura. Por meio do twitter @portalcultura são divulgadas informações instantâneas e promoções. O Portal Cultura é dirigido pela jornalista Soraya Wanzeller.

(Fonte: "Funtelpa: Fundação de Telecomunicações do Pará 30 anos construindo a História da Comunicação na Amazônia". Funtelpa, Belém-PA, 2007)
 

FUNDAÇÃO PARAENSE DE RADIOFUSÃO - FUNTELPA
Rede Cultura de Comunicação
TV ● Rádio ● Portal Cultura
Av. Almirante Barroso, 735 - Marco
Belém - Pará - CEP: 66093-020
CNPJ: 11.953.923/0001-84
Tel. : 4005.7700

 

 

MISSÃO, VISÃO e VALORES

 

Missão

Comunicar, educar e divertir para cidadania.
 
Visão
Ser referência em comunicação da Amazônia.
 
Valores
- Criatividade: transformar e produzir ideias, estimulando um ambiente organizacional que facilite a inovação;
- Responsabilidade Social e Ambiental: promover, desenvolver e apoiar ações para reduzir as desigualdades sociais e os impactos ambientais; 
- Excelência: desenvolver serviços e produtos de qualidade;
- Ética: ser transparente na utilização de recursos públicos e em todas as ações da empresa, com parceiros e colaboradores;
- Democratização da Informação: incentivar o acesso da sociedade à informação a partir da programação e ações das Emissoras Cultura;
- Comprometimento: envolver e estimular o compromisso dos colaboradores e parceiros com a qualidade das ações e programações das Emissoras Cultura mantendo o respeito e bem-estar dos colaboradores.