Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Leitura como meio de inclusão social e cidadania

Leitura como meio de inclusão social e cidadania

O assunto foi tema de entrevista com Carmen Palheta, diretora do projeto “Livro Solidário” da Imprensa Oficial do Estado.
Leitura como meio de inclusão social e cidadania

Foto: Mácio Ferreira (Agência Pará)

 

Segundo dados da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, realizada pelo Instituto Pró-Livro, o brasileiro lê, em média, menos de três livros ao ano e apenas um em cada quatro brasileiros domina a leitura. Diante dessa situação, projetos governamentais e de pessoas ligadas à literatura se fazem cada vez mais necessários.

 

Para ajudar a reverter esse quadro, o Governo do Estado lançou neste mês de abril uma campanha com o objetivo de arrecadar livros, facilitar o acesso da população paraense à leitura e aumentar o número de leitores no estado.

 

Com o título “Compartilhe Livros. Transforme o Mundo”, a ação envolve todas as secretarias estaduais de forma integrada e busca incentivar o público a tirar aquele livro parado na prateleira e compartilhá-lo com outras pessoas, por meio da doação.

 

A campanha integra também outros projetos já realizados por instituições estaduais, como o projeto “Livro Solidário”, da Imprensa Oficial do Estado (IOE) e as ações realizadas pela Fundação Cultural do Pará.

 

Para falar mais sobre essa ação da IOE e as contribuições da campanha do Governo do Estado no incentivo à leitura e como ferramenta de inclusão e cidadania, ouvimos a diretora do projeto “Livro Solidário”, Carmen Palheta.

 

Segundo ela, o projeto foi criado em 2003 pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) como uma iniciativa do Governo do Estado para levar a leitura a quem não tem acesso a ela, por meio da implantação de "Espaços de Leitura" nas comunidades carentes da Região Metropolitana de Belém.

 

A partir de 2011, sob a coordenação da Imprensa Oficial do Estado, o projeto também passou a beneficiar unidades prisionais, de cumprimento de medidas socioeducativas e hospitais públicos.

 

Em seis anos já foram recolhidos mais de 50 mil livros que após seleção e catalogação foram encaminhados para doação a cerca de 100 instituições da capital e do interior do estado. Em 2017, até o mês de março, o projeto já conseguiu arrecadar mais de 2 mil exemplares.

 

"As doações são obtidas em grande parte através da sensibilização da sociedade quanto ao desapego de livros guardados em casa para atender pessoas que não têm acesso a eles. Além da população o projeto recebe doações de editoras do estado de São Paulo que enviam livros para doação", destacou Carmen.

 

Ação integrada do Governo do Estado

Segundo Carmen Palheta, a campanha “Compartilhe Livros. Transforme o Mundo” que a Secretaria de Comunicação coordena em parceria com os demais órgãos do Governo do Estado, "representa um ganho e dá mais visibilidade ao projeto de incentivo à leitura que a IOE já desenvolve".

 

Assim, como órgão parceiro do Governo do Pará nessa ação, no decorrer de todo este ano e, sobretudo durante o mês de abril, estão sendo intensificadas as ações e implantações de espaços de leitura.

 

No último dia 18 de abril, em comemoração ao aniversário de nascimento de Monteiro Lobato, foi entregue um espaço no Propaz Mangueirão, em Belém. Neste sábado (29) o projeto “Livro Solidário” estará no município de Acará para uma ação de incentivo à leitura com cerca de 150 crianças.

 

Quem pode participar? Onde e como doar os livros?

Qualquer pessoa com livros novos ou usados em casa e que estejam sem uso pode participar. Diversos órgãos públicos estaduais estão com pontos de arrecadação.

 

De tudo o que for arrecadado, parte irá para o “Projeto Livro Solidário”, da IOE. A outra parte será enviada à Fundação Cultural do Pará, abastecendo as bibliotecas públicas.

 

As doações podem ser feitas na sede da Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271, entre as avenidas Almirante Barroso e Rômulo Maiorana, bairro do Marco. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4009-7847 ou pelo e-mail livrosolidario@ioe.pa.gov.br . Outro ponto de coleta fica no prédio da Cultura Rede de Comunicação, localizado na Avenida Almirante Barroso, 755, entre as Travessas do Chaco e Humaitá, bairro do Marco. Mais informações no departamento de marketing da emissora pelos telefones 4005-7774 e 4005-7700 ou através do e-mail marketing@funtelpa.com.br

 

A campanha tem ações previstas ao longo de todo este ano e para você ficar sabendo sobre os outros locais onde os livros podem ser doados, bem como obter material para dowload, dicas de como montar um ponto de leitura, projetos de arrecadação etc, é só acessar o endereço www.pa.gov.br/leitura. O site dispõe ainda de informações sobre editais de literatura da Fundação Cultural do Pará, além de um contador com o número de doações recebidas.