Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Portas Abertas para Lindanor Celina

Portas Abertas para Lindanor Celina

Escritora paraense é tema de exposição na Casa das Artes.
Portas Abertas para Lindanor Celina

Foto: Ascom FCP (Divulgação)

 

A Fundação Cultural do Pará (FCP) exibe ao público, até o dia 30 deste mês de julho, a mostra “Portas Abertas para Lindanor Celina” que faz parte das várias homenagens pelo centenário de nascimento da escritora paraense Lindanor Celina.

 

A exposição foi incluida na programação da XXI Feira Pan-Amazônica do Livro que aconteceu neste ano no Hangar e agora pode ser visitada na Casa das Artes, em Belém.

 

A mostra foi pensada com o intuito de fazê-la circular por diferentes espaços e inclui, de forma paralela, a realização de oficinas e palestras sobre a autora, inicialmente destinadas às escolas de ensino médio e fundamental de Belém, bibliotecas, casas de cultura e demais instituições.

 

A exposição é composta por 15 painéis com estrutura em alumínio contendo imagens, textos, as obras, pesquisas sobre Lindanor Celina, depoimentos da crítica, de amigos, de leitores, além de declarações da própria autora. Todo esse material foi resultado de uma pesquisa feita na Casa das Artes e na Casa da Linguagem, ambas vinculadas à Fundação Cultural.

 

Sobre a escritora: Lindanor Coelho Miranda nasceu em Castanhal, no nordeste do Pará, mas como fazia questão de lembrar “abriu os olhos em Bragança”, onde viveu sua infância e parte de sua juventude.

 

A relação da escritora com o município bragantino é tão forte, que a cidade está presente em grande parte de sua obra, iniciada com um dos seus livros mais conhecidos: “Menina que vem de Itaiara”.

 

Indo morar na França, onde atuou por mais de 30 anos como professora de litertura brasileira na Universidade de Lille, a escritora continuou vindo ao Pará lançar suas obras, ocasiões em que recebia amigos e estudantes em sua casa.

 

Falecida em 2003, Lindanor Celina deixou uma obra composta por crônicas e romances, com destaque para os livros “Estradas do Tempo-Foi” e “Eram Seis Assinalados” que ao lado de “Menina que vem de Itaiara” formam uma trilogia.

 

Serviço: A exposição “Portas Abertas para Lindanor Celina” pode ser visitada na Casa das Artes (Praça Justo Chermont, 236), até o dia 30 de julho, no horário das 09h às 18h. A entrada é gratuita.