Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Público lota teatro para lançamento de séries do Edital Cultura de Audiovisual

Imprensa

Público lota teatro para lançamento de séries do Edital Cultura de Audiovisual

Público lota teatro para lançamento de séries do Edital Cultura de Audiovisual

Foto: Camila Lima (Portal Cultura)

 

O público lotou o Teatro Maria Sylvia Nunes na Estação das Docas, em Belém, para o lançamento das séries contempladas pelo Edital Cultura de Audiovisual na noite desta quinta-feira (31). Foram exibidos os primeiros capítulos das séries "Diários da Floresta", da produtora Floresta Vídeo, "Eu moro aqui", da produtora TV Norte Independente, e a animação "As Icamiabas na Cidade Amazônia", do Iluminura Estúdio. As produções começam a ser exibidas exclusivamente pela TV Cultura do Pará no dia 11 de setembro. 

 

"A TV Cultura do Pará sempre foi parceira do realizador independente, que tem espaço em nossa grade como janelas para exibição deles.”, afirmou a presidente da Cultura Rede de Comunicação, Adelaide Oliveira, durante o lançamento. Segundo ela, em 2014 aconteceu a implantação do edital para fomentar o audiovisual paraense, para que a partir daí, surgissem obras mais consistentes para exibir em uma TV pública.

 

“Importante ressaltar que após essa exibição na TV Cultura, essas obras ganham vida própria e podem ser exibidas em outras emissoras, tanto brasileiras quanto internacionais", informou Adelaide Oliveira.

 

Das produções contempladas no edital lançado em 2014 em parceria com a Ancine (Agência Nacional do Cinema), as séries de ficção "Diários da Floresta", da produtora Floresta Vídeo, e "Os Konsiderados", da Green Vision, receberam R$ 1 milhão cada. Já o documentário "Eu moro aqui", da produtora TV Norte Independente, e a animação "As Icamiabas na Cidade Amazônia", do Iluminurias Estúdio, receberam R$ 500 mil cada.

 

As produtoras selecionadas realizaram 80% dos projetos em solo paraense, bem como contrataram artistas e técnicos locais para fomentar o segmento. O edital incentivou outras produtoras paraenses a buscarem novos projetos e desafios. Prova disso é que 55 produtoras do Estado já se cadastraram este ano na Ancine com intuito de participarem de futuros editais. "O público ganha porque vai ficar com histórias cada vez mais interessantes, que mostram a nossa história e a nossa gente. E os profissionais que trabalham com o audiovisual paraense são beneficiados também", completa Adelaide. 

 

O animador paraense Andrei Miralha foi um dos criadores da série "As Icamiabas na Cidade Amazônia", produzida pelo Iluminuras Estúdio, com direção de Otoniel Oliveira. As Icamiabas são velhas conhecidas do telespectador da TV Cultura do Pará. Em 2012 a animação ganhou espaço na interprogramação da emissora em três episódios de um minuto cada, e dessa vez, o destaque veio por meio do Edital Cultura de Audiovisual.

 

"É uma produção de desenho animado que nunca foi feita aqui no Pará. Por conta disso, tivemos dificuldades de contratar pessoas para fazer a animação, treiná-las e, dessa oportunidade surgiram muitos talentos”, explicou Andrei Miralha, informando que a série representa uma Amazônia muito rica e cheia de referências como a cultura tapajônica e marajoara, cuja composição foi denominada Cidade Amazônica.

 

A vida dos moradores de quatro unidades de conservação no Pará e relação destes com a sustentabilidade foi tema do documentário "Eu moro aqui", realizado pela TV Norte Independente, com direção e pesquisa do cineasta Fernando Segtowick. O profissional fez questão de destacar a importância dessas comunidades para conservação dos espaços, muitas vezes desconhecidos pelos próprios paraenses. "O documentário mostra como é a organização social destas comunidades e como funciona o corporativismo dentro delas. A idéia foi mostrar essa realidade muitas vezes desconhecida para nós, paraenses", destaca. Os quatro episódios da produção começam a ser exibidos a partir do dia 11, às 20h, pela TV Cultura do Pará.

 

Luiz Arnaldo é o diretor da série de ficção "Diários da Floresta", da produtora Floresta Vídeo, com estreia prevista para o dia 16 de outubro, às 20h. Com requintes de detalhes, na série ele retrata a história da antropóloga Betty Mindlin, interpretada pela atriz Rita Carelli, que em contato com a nação indígena Paeté, passa por um processo de indigenização e incorpora características indígenas, enquanto que os índios dessa tribo sofrem processo inverso.

 

À imprensa, o diretor contou que a série foi um verdadeiro desafio para toda equipe. "Talvez o que seja mais pioneiro e fantástico foi o trabalho com o elenco, pois tivemos uma grande experiência com os índios que tiveram que se tornar atores. Muitos antropólogos disseram que seria inadequado que índios de uma determinada etnia pudessem interpretar outras e aceitamos esse desafio, mas no final tudo deu certo", contou ele, que agradeceu ao público do Maria Sylvia Nunes.

 

A estudante Roberta Silva, de 19 anos, foi conferir as produções no teatro e destacou a importância da TV Cultura em incentivar a produção audiovisual paraense. "Pretendo estudar cinema e quando a TV Cultura dá importância para essas produções, fico com mais vontade de aprender. Acho importante os produtores destacarem principalmente a realidade da nossa região. As imagens estão muito lindas", finaliza ela. 

 

Produzido pela produtora Green Vision, a obra "Os Konsiderados" deve ser lançada somente em 2018. Em novembro, a Cultura Rede de Comunicação deve lançar novo edital, dessa vez voltado para a captação de produtos que possam fazer parte da grade de programação da emissora.