Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Grupo Usina mostra nova criação cênica

Grupo Usina mostra nova criação cênica

Pachiculimba dá continuidade à pesquisa de Alberto Silva Neto e Claudio Barros sobre o trabalho do ator iniciada em Solo de Marajó
Foto em destaque

Foto: Divulgação

 

Texto: Alberto Silva Neto

 

O quintal de uma casa localizada na praia do Paraíso, na Ilha de Mosqueiro, foi o lugar escolhido pelos artistas-pesquisadores Alberto Silva Neto e Claudio Barros para abrigar a nova criação cênica do grupo paraense Usina. Resultado de quatro anos de pesquisa sobre processos de atuação e xamanismo, Pachiculimba será apresentada ao entardecer dos dias 4, 5, 11 e 12 de outubro. Serão apenas 20 convidados por sessão.

 

A última fase da investigação, realizada entre junho e setembro deste ano, foi financiada pelo Prêmio Pesquisa e Experimentação da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves/Casa das Artes – 2017, e resulta da pesquisa Teatro como terra de imagens-tempo, proposta por Alberto. Essa etapa conta com a participação dos criadores Cláudio Melo (sonoridades), Claudio Rêgo de Miranda (visualidades), Valéria Andrade (corporeidades) e Zienhe Castro (paladares).

 

Os criadores de Pachiculimba preferem não adotar o termo espetáculo para definir o novo trabalho. Acreditam que ritual ou cerimônia seja mais adequado para classificar a experiência, na qual o ator-performer recusa a representação de personagens ficcionais e as formas miméticas que ocupam lugar central na tradição do teatro ocidental, e se deixa atravessar pelo lugar e pelos seres que o habitam – plantas, animais, astros, fenômenos naturais –, mais na perspectiva da produção de presença que da construção de sentido.

 

A ação cênica acontece em todo o espaço do quintal, mas se concentra num círculo com chão feito de barro, construído especialmente para o trabalho, e cuja textura lembra os pisos das malocas indígenas ou terreiros de festas populares na Amazônia. A iluminação é toda a partir de fontes naturais: a própria luz do sol na primeira parte e a chama do fogo – uma fogueira e candeeiros –, na segunda. O objetivo é proporcionar aos participantes uma experiência que ultrapasse a fronteira do teatro convencional.

 

Os interessados em assistir Pachiculimba devem enviar uma mensagem para o e-mail pachiculimba@gmail.com ou para o telefone/whatsapp (91) 98810-3040, informando o dia em que gostariam de participar, telefone/whatsapp para contato, e principalmente, se comprometerem a cumprir os horários acordados (os traslados serão realizados sempre com saída pontualmente às 15h30, da Casa das Artes - ao lado do Santuário de Nazaré - e retorno às 21h, no mesmo local).