Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Campanha pretende reeditar obras de Dalcídio Jurandir

Campanha pretende reeditar obras de Dalcídio Jurandir

O projeto tem por objetivo resgatar ao público obras esgotadas do autor paraense.
Campanha pretende reeditar obras de Dalcídio Jurandir

Foto: Divulgação

 

A Pará.grafo Editora lançou novo projeto de financiamento coletivo para reeditar os livros “Três Casas e um Rio” e “Os Habitantes”, do romancista paraense Dalcídio Jurandir, obras que estão sem novas edições há décadas.

 

A campanha: Depois do sucesso no projeto anterior, que ajudou a reeditar o livro “Ponte do Galo” após 46 anos da primeira edição, a Pará.grafo segue seu projeto de recolocar nas estantes brasileiras as demais obras esgotadas do autor. Serão edições com apurado acabamento gráfico, ilustrações da artista plástica e escritora Paloma Franca Amorim, e versão em e-book. A atual campanha iniciou no último dia dois de dezembro de 2017 e fica no ar até o final deste mês de janeiro.

 

Sobre o autor: Dalcídio Jurandir (1909-1979) nasceu em Ponta de Pedras, Ilha do Marajó, e faleceu no Rio de Janeiro. Escreveu onze romances, dos quais dez formam o chamado Ciclo do Extremo-Norte. Recebeu com eles o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra, em 1972. Teve edições em Portugal e na Rússia. Colaborou como jornalista e cronista em diversos jornais e revistas regionais e nacionais. É considerado por muitos o maior romancista da Amazônia e um dos principais autores brasileiros do século XX.

 

Os livros: “Três Casas e um Rio” foi lançado em 1958, com capa de Cândido Portinari, e teve outras duas edições, sendo a última em 1994, tornando-se objeto de luxo nos sebos do país. É o terceiro livro do chamado Ciclo do Extremo-Norte, série romanesca de dez livros de Dalcídio Jurandir, iniciada com “Chove nos Campos de Cachoeira”.

 

“Os Habitantes”, de 1976, nunca foi reeditado, tornando-se um livro raro. Esta será sua segunda edição, após mais de 40 anos. É o oitavo livro do Ciclo, logo após “Ponte do Galo”.

 

Para conhecer mais sobre a editora e participar do projeto de financiamento coletivo dessas duas obras de Dalcídio Jurandir, que segue até o dia 31 janeiro, é só acessar o site Catarse.