Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Cultura projetou audiovisual e música paraense em 2017

Imprensa

Cultura projetou audiovisual e música paraense em 2017

Séries, documentários, shows e futebol estiveram na programação.
Cultura projetou audiovisual e música paraense em 2017

O ano de 2017 foi de produção audiovisual, futebol e música paraense na Cultura Rede de Comunicação (Funtelpa), que engloba a TV, Rádio e Portal Cultura. Shows, documentários, animações, séries e a exibição do Campeonato Paraense Banpará estiveram na grade de programação. O jornalismo das emissoras Cultura também ganhou um novo gás com a proposta de integração dos conteúdos.

 

A programação do ano na Cultura começou com a exibição do Campeonato Paraense 'Banparazão' 2017 pela TV, Rádio e Portal Cultura com a cobertura dos Jogos de Remo e Paysandu. No total, foram transmitidas 24 partidas em HD (high definition) para seis regiões do Pará. Pelos direitos de transmissão exclusiva dos jogos, a TV destinou R$ 2.956.800, enquanto o Banpará investiu R$ 3.400.800,00.

 

A emissora ainda estreou o ‘Meio de Campo 3.0’, um programa que foi produzido com conteúdo exclusivo para a internet. Foi o oitavo ano consecutivo que a TV pública exibiu o campeonato com exclusividade para 115 municípios do Estado. A Rádio Cultura (93,7 FM) também transmitiu as principais partidas de Leão e Papão, enquanto que o Portal Cultura produziu matérias especiais dos times durante a competição.

 

Pelo quinto ano consecutivo, a Cultura Rede de Comunicação premiou os craques do Banparazão 2017, em várias categorias, no ‘Troféu Meio de Campo’. Mas o campeonato na Cultura também teve o lado social, com a realização da Campanha "Doadores Futebol Clube", que estimulou a doação de sangue entre os torcedores na sede do Hemopa. No 'Dia D' da campanha, o hemocentro triplicou o número de doações em relação ao um dia normal, com o comparecimento de 431 doadores. 

 

"Além das transmissões dos jogos, nós também fizemos uma campanha solidária, que é o Doadores Futebol Clube. Ou seja, utilizamos o alcance da Rádio, da TV e do Portal Cultura para incentivar esse ato tão importante que é a doação de sangue. Apostamos em uma mensagem mais social, mais humana, que é uma das grandes missões da Cultura", destaca Adelaide Oliveira, presidente da Cultura Rede de Comunicação.

 

Nova fase

 

No dia 31 de março deste ano, a TV Cultura do Pará completou 30 anos e celebrou a data com show de Dona Onete, transmitido ao vivo pela Rádio, TV e Portal Cultura. O evento, realizado no Teatro Margarida Schivasappa, teve ainda a participação dos músicos Felipe e Manoel Cordeiro. Atualmente com 68 programas na grade, entre nove atrações locais e 59 nacionais, a emissora possui o mais rico acervo de imagens da TV paraense. São programas, documentários e produções que exaltam a cultura do Estado e mantêm viva essa memória imagética. Neste ano, a emissora passou a transmitir o sinal em HD e recentemente normatizou o acesso ao acervo de imagens.

 

Este ano, a Cultura Rede de Comunicação investiu mais de um milhão de reais na aquisição de novos equipamentos de transmissão de sinais (TV e Rádio), na montagem dos novos estúdios e na instalação dos setores administrativos no novo prédio sede da Fundação, que deve ser inaugurado ainda no primeiro semestre de 2018. Os recursos foram originados das fontes do tesouro (56%) e de recursos próprios (44%). O novo prédio foi totalmente reformado para atender a demanda das emissoras da Cultura Rede de Comunicação e proporcionar uma melhor infraestrutura para os funcionários.  

 

"Com certeza o grande destaque do ano foi o começo das nossas transmissões em HD pela TV Cultura. Tivemos a transmissão do Parazão, do Círio, e isso foi muito positivo. É um marco quando você consegue ter toda a programação com maior qualidade de som e imagem. Foi um  presente para os 30 anos da emissora", completa Adelaide.

 

Jornalismo

 

Desde o final do ano passado, o jornalismo da TV, Rádio e Portal Cultura passa por uma nova fase em projeto de integração de conteúdos. Os três veículos produzem materiais entre si e as redações deve ser integradas em breve no novo prédio da Cultura. Para isso, os profissionais das emissoras e do Portal Cultura passaram por treinamentos este ano com os jornalistas Dad Squarisi, que ministou oficina de linguagem para web, e mais recentemente, com João Wainer, que deum um treinamento voltado para o audiovisual.

 

Um bom exemplo dessa integração foi a cobertura do Círio 2017, quando os veículos produziram conteúdos exclusivos para a fan page de Jornalismo da Cultura. No dia do Círio, os vídeos tiveram 15 mil visualizações e alcançaram 51 mil pessoas. Além disso, foi lançado um manual de redes sociais para os jornalistas da Cultura. As transmissões do Festribal, em Juruti, e do Çairé, em Santarém, ambos no oeste paraense, foram outro destaque do ano na TV, Rádio e Portal Cultura. Os eventos foram exibidos também por meio do canal do Portal Cultura no Youtube e Facebook do Portal Cultura, onde tiveram 77 mil visualizações e alcançaram 318 mil pessoas.    

 

"A integração começou no final do ano passado, mas começou a ganhar força mesmo a partir de fevereiro deste ano, com a criação da fan page do Jornalismo Cultura. De lá pra cá, conseguimos fazer coberturas interessantes, como a da Feira do Livro, em que contamos com profissionais da TV e do Portal Cultura. A do Círio 2017 foi o grande marco do ano porque foi uma transmissão totalmente integrada, em que os profissionais do rádio fizeram materiais audiovisuais que foram veiculados tanto na internet quanto na TV Cultura. Além disso, tivemos a oportunidade de fazer coberturas como a do Festribal, em Juruti, e do Çairé, em Santarém, no mesmo formato. Fora isso, também estamos preparando um material sobre a Marujada de Bragança, que vai ser utilizando tanto na TV quanto na Rádio Cultura. A integração, que começou de forma tímida, ganhou espaços maiores este ano e o nosso objetivo é continuar experimentando novos formatos", explica o jornalista Alexandre Lins, coordenador de jornalismo da Rádio Cultura.

 

Música e audiovisual 

 

Em 2017, a Cultura Rede de Comunicação lançou três séries contempladas pelo Edital Cultura de Audiovisual. Única emissora pública do Norte do Brasil a garantir edital na área, a TV Cultura destinou um total de R$ 3 milhões para as produções, sendo R$ 1 milhão de contrapartida da emissora e o restante proveniente do Fundo Setorial do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), que repassou mais R$ 2 milhões às produtoras paraenses selecionadas. 

 

Das produções contempladas no edital lançado em 2014, as séries de ficção "Diários da Floresta", da produtora Floresta Vídeo, e "Os Konsiderados", da Green Vision, receberam R$ 1 milhão cada. Já o documentário "Eu moro aqui", da produtora TV Norte Independente, e a animação "As Icamiabas na Cidade Amazônia", do Iluminurias Estúdio, receberam R$ 500 mil cada. Conforme o edital, as produtoras tinham que executar 80% dos projetos em solo paraense, bem como contratar artistas e técnicos locais para fomentar o segmento no Estado. 

 

Nos últimos anos a TV Cultura tem se dedicado a estimular a produção audiovisual, incentivando o mercado com iniciativas como o Edital Culturanimação e Edital Cultura de Audiovisual, em parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), para séries de ficção, documentário e animação. Além disso, a emissora também possui um núcleo de documentários, que tem se destacado em diversos temas regionais, como culinária, cultura e memória.

 

A música paraense e os artistas da terra também foram contemplados na segunda temporada do Sonora Pará. O projeto incluiu uma série de curta-metragens com 12 artistas paraenses, produzidos sob os olhares de 12 realizadores independentes selecionados pela Cultura. Foram produzidos 36 documentários, incluindo 24 curta-metragens que variam de 30 segundos a 1 minuto e 30 segundos, para exibição na Rádio Cultura, além de 12 curtas de cinco minutos, que foram veiculados na TV e Portal Cultura. 

 

Este ano os realizadores escolhidos foram Larissa Bezerra (Paulo José Campos de Melo), Ângela Gomes (Banda União Vigiense), Carolina Mattos (Luê), Adriana Oliveira (Strobo), Brunno Régis (Iva Rothe), Rodrigo Bittencourt (Adamor do Bandolim), Afonso Gallindo (Wanderley Andrade), Vitor Souza Lima (Leila Pinheiro), Cristiano Santa Cruz (Espanta Cão), André dos Santos (MG Calibre), Júnior Franch (Jaloo) e Guto Nunes (Mestre Damasceno).

 

Atualmente, a produção da TV, Rádio e Portal Cultura do Pará trabalha na criação do documentário "Caminhando com Toni Benedito Soares", que vai mostrar a relação de Toni Soares com a música e sua devoção a São Benedito. A trajetória da cantora Nazaré Pereira também será retratada em produção audiovisual a ser lançada em 2018. Este ano, Nazaré ganhou EP com três músicas inéditas e uma regravada no estúdio Edgar Proença, da Rádio Cultura FM. O trabalho foi lançado nas plataformais digitais e produzido pelo músico Leo Chermont.  

 

"O ano de 2017 foi bem positivo porque colocamos no ar as obras contempladas no Edital Cultura de Audiovisual, em parceria com Ancine, e isso foi inédito para uma emissora pública do Norte. A medida foi um grande estímulo para produção audiovisual paraense porque a TV Cultura sempre foi parceria desses produtores independentes. Paralelamente a isso tivemos, ainda, a segunda edição do Sonora Pará, que envolveu o pessoal da música e audiovisual, e foi um projeto muito bacana de fazer. Enfim, isso demonstra o quanto a Cultura tem com missão desenvolver o audiovisual paraense", finaliza Adelaide Oliveira.