Quiere comprar pastillas de potencia Venda De Viagra Brasil La entrega de tabletas se produce en la normal imperceptible el sobre y se respeta la confidencialidad de la.

Hospital das Clínicas realiza mutirão de cateterismo

Hospital das Clínicas realiza mutirão de cateterismo

A ação visa atender pacientes com diagnóstico de cardiopatia
Hospital das Clínicas realiza mutirão de cateterismo

A Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV), referência em Cardiologia no Pará, realiza neste sábado (21) e domingo (22) um mutirão para atendimento de pacientes com diagnóstico de cardiopatia congênita e indicação para cateterismo. Serão 10 atendimentos durante esse período, com o intuito de reduzir a fila de espera por esse tipo de procedimento.

 

Os atendimentos serão realizados seguindo critérios, como período de cadastro do usuário na instituição e gravidade do caso. De acordo com o médico cardiologista intervencionista, Rogério dos Anjos Miranda, a iniciativa faz parte de uma programação mensal, que foi elaborada a partir da avaliação do fluxo de atendimentos no dia a dia da instituição, com o objetivo de dobrar o número de pacientes assistidos em cada mutirão. "A realização de uma ação como essa requer o empenho de vários setores do hospital, o desenvolvimento de uma logística diferente da rotina diária e a avaliação dos resultados. Por isso, optamos por dez procedimentos na fase inicial e a previsão de chegar a 20 nos próximos meses", explica.

 

O próximo mutirão de cateterismo da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna está programado para os dias 12 e 13 de dezembro, com atendimento a outros 10 pacientes. De acordo com o planejamento da instituição e a avaliação dos resultados destas duas ações, a meta é promover um mutirão por mês.

 

Para a diretora Técnica na Fundação, Vânia Brilhante, essas ações agilizam o atendimento, o que reforça o compromisso da instituição com a qualidade de vida. "Em alguns casos de cardiopatia congênita, as crianças chegam até o hospital com idade superior aos 12 anos. São pacientes que nasceram com a doença e que tiveram a infância comprometida de alguma forma. Com o mutirão, queremos também devolver a qualidade de vida a esses pacientes", explica.

 

Foto: ASCOM/ HCGV